Automedicação para emagrecer oferece riscos graves à saúde

5 minutos para ler

Uso de remédios para perda de peso rápido e sem orientação médica é ainda mais perigoso para hipertensos, diabéticos e pessoas com outras comorbidades

Dr. Paulo Rosenbaum, endocrinologista do Hospital Israelita Albert Einstein. CRM SP 76525

Quando você está com uns quilinhos a mais e quer perder peso rapidamente, o que você deve fazer? Provavelmente já deve ter ouvido falar várias vezes e sabe qual é o melhor remédio para emagrecer naturalmente: uma dieta rica em nutrientes e com poucas calorias, somada à prática de exercícios físicos e à mudança do seu próprio comportamento para evitar cair nas tentações da gula.

Entretanto, muita gente procura, por conta própria, substâncias emagrecedoras, ou seja, remédios para emagrecer, sem a devida orientação e supervisão médicas – a automedicação. 

“Existem atualmente medicamentos que podem auxiliar na perda e manutenção do peso, que devem ser prescritos apenas pelo médico, de preferência o endocrinologista. Ele vai avaliar a necessidade, qual o melhor remédio para cada caso e as contraindicações. Além de propor o tratamento é feito o acompanhamento clinico e com exames de laboratório”, explica o dr. Paulo Rosenbaum, endocrinologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

Alguns medicamentos são comercializados legalmente e sem a necessidade da retenção de receita, mas isso não significa que sejam seguros ou eficazes. Pessoas com comorbidades, como hipertensão, diabetes ou hepatite A, alergias ou que tomam outras medicações podem ter sérios problemas, mesmo com os emagrecedores mais “naturais”. 

Outros remédios, mais fortes e que costumam afetar o funcionamento cerebral e do sistema nervoso, acabam sendo obtidos de forma ilegal pelas pessoas. Alguns desses remédios são parentes próximos de drogas ilícitas no Brasil. Podem viciar com facilidade e, em muitos casos, oferecem risco à vida do paciente, quando tomados sem avaliação e orientação médicas.

A automedicação para emagrecer é uma ação extremamente perigosa e que pode causar danos irreversíveis à sua saúde. Por mais tentadora que seja a ideia de emagrecer fazendo menos esforço ou com mais rapidez, os riscos não compensam. Fique atento: o processo de emagrecimento precisa ser orientado e acompanhado por profissionais, como médicos, nutricionistas e educadores físicos.

“A obesidade está geralmente associada a outros problemas de saúde: diabetes, pressão alta, aumento do colesterol e maior risco de infarto e derrame, portanto deve ser encarada como doença crônica e, se for necessária medicação, deverá ser prescrita por médico com experiência no tratamento e acompanhamento dessa condição”, reforça o dr. Rosenbaum.

Lembre-se: se você estiver com sobrepeso ou mesmo com obesidade, consulte um médico e receba as orientações sobre a melhor dieta para você e, se necessário, o melhor tratamento. Afinal de contas, melhor do que emagrecer rápido é emagrecer com saúde e preservar a sua vida.

Mercado ilegal, venda sem receita e sem garantia de qualidade

Muita gente procura comprar remédios no mercado ilegal, já que venda sem receita médica é proibida. Esses produtos, muitas vezes falsificados, mesmo quando originais, não podem ser administrados a qualquer pessoa. Diversas são as contraindicações de tais remédios, cujo uso pode ser prejudicial à saúde – podendo, inclusive, levar à morte. Quando os remédios são falsificados, corre-se o risco de não obter efeito algum ou de estar consumindo algo ainda mais nocivo ao seu corpo.

Antibióticos e outros medicamentos

Além de remédios usados para perder peso, outras medicações utilizadas sem o devido acompanhamento médico também oferecem riscos à saúde, como é o caso dos antibióticos que, se mal utilizados, podem criar superbactérias: microrganismos que atacam nosso corpo e são resistentes aos remédios disponíveis. 

Até mesmo os analgésicos e relaxantes musculares podem causar sérios problemas hepáticos. Nos Estados Unidos, são comuns as histórias de celebridades que morrem acidentalmente por ingerir analgésicos derivados de opioide em excesso ou misturados a outras substâncias.

Consulte um profissional: saiba qual

Quando você estiver precisando aprender a se alimentar de forma mais adequada e, como consequência, perder peso, o profissional mais indicado a se procurar é o nutricionista, que pode ajudar no processo de reeducação alimentar.

Se você estiver com algum problema hormonal que afeta o peso ou outros problemas de saúde relacionados a alimentação, como diabetes ou colesterol alto, procure um endocrinologista. Um nutrólogo também pode ser procurado, principalmente quando houver um fator psicológico dificultando a perda de peso ou melhorarem a saúde com base na sua alimentação.

Diga não à automedicação: procure um profissional para te auxiliar durante o processo de emagrecimento mantendo a sua saúde física e mental, de forma segura e adequada.

Leia mais