Coronavírus: o que sabemos até agora sobre a doença

5 minutos para ler

Atualizado em 21/02/2020, às 13:31

Parecida com pneumonia, doença pode matar, já contaminou quase 77 mil pessoas e causou ao menos 2.248 mortes

Por Dr. Jacyr Pasternak, CRM SP 11 034 e Dr. Fernando Gatti de Menezes, CRM SP 101 692, infectologistas do Hospital Israelita Albert Einstein

Um vírus tem se espalhado rapidamente pelo mundo. Inicialmente, ele estava cercado de mistérios e se concentrava na Ásia. Aos poucos, conforme ele se dissemina pelo planeta, estamos descobrindo novas informações a seu respeito: é um novo coronavírus, tipo de organismo RNA que infecta mamíferos e aves, com potencial para disseminação entre humanos e, portanto, possibilidade de surtos.

Acompanhe os números do coronavírus em tempo real

Legenda:
Total Confirmed = casos confirmados
Total Deaths = mortes
Total Recovered = pessoas curadas

Fonte: Johns Hopkins e Organização Mundial da Saúde (OMS)

https://open.spotify.com/show/3cHQQN1DKO8N4L95JlC1py?t=0

Origem

Em 31 de dezembro de 2019, a Organização Mundial de Saúde foi informada de um conjunto de casos de pneumonia de causa desconhecida, detectados na cidade de Wuhan, na China, que tem 11 milhões de habitantes. Era um novo vírus denominado coronavírus (nomenclatura temporária: 2019-nCoV), identificado pelas autoridades chinesas em 7 de janeiro de 2020.

No dia 11 de fevereiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinou que será COVID-19 o nome da doença respiratória causada pelo novo coronavírus. Assim, buscam evitar a associação com localização geográfica, animais, indivíduo ou grupo de pessoas.

O coronavírus teria cruzado a barreira entre as espécies e contaminado seres humanos. Até o momento, porém, ainda não sabemos qual foi o animal transmissor. Os maiores suspeitos são cobras e morcegos.

SARS (síndrome respiratória aguda grave) e MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio)

A doença pulmonar é similar às duas doenças relacionadas com os coronavírus, a SARS e a MERS. A SARS também começou na China e se espalhou, assustando o mundo todo. O outro coronavírus surgiu em dromedários e já causou diversas mortes, principalmente na Arábia Saudita.

Transmissão e tratamento

O coronavírus é contagioso e costuma ser transmitido por meio de gotículas expelidas por tosse, espirros e fômites (secreções). “Lembrando também da possibilidade de transmissão por aerossol (partículas menores do que gotículas) em situações como inalação e aspiração de vias aéreas, necessidade de intubação orotraqueal ou exames de broncoscopia”, comenta o Dr. Fernando Gatti de Menezes, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

Dicas de prevenção contra o novo coronavírus

Fontes: Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde (OMS)

Coronavírus de Wuhan no Brasil

Pelo menos um caso suspeito da doença está sendo analisado atualmente no Brasil. Como o período de incubação do vírus dura de uma a duas semanas, é possível que algum viajante internacional infectado tenha chegado ao Brasil, já que estamos a algumas horas de qualquer lugar do mundo, via avião. Mais de vinte e cinco países já confirmaram casos da doença: China, EUA, Canadá, Alemanha, Itália, França, Austrália, Coreia do Sul, Japão, Suécia, Tailândia, Malásia, Nepal, Camboja, Vietnã, entre outros.

Trinta e quatro brasileiros que estavam em Wuhan foram resgatados pela Força Aérea Brasileira (FAB) e ficarão em quarentena em Anápolis (GO) por um determinado período. Eles chegaram na manhã do dia 09 de fevereiro e o isolamento acontecerá durante 18 dias.

Combate à epidemia

A contenção chinesa da SARS, também causada por um coronavírus, funcionou muito bem e os chineses estão colocando em prática a experiência adquirida anteriormente ao isolar pacientes e bloquear o contato. O uso de máscaras respiratórias também passou a ser obrigatório na cidade de Wuhan.

Dezesseis cidades estão em quarentena na China, o que está repercutindo na economia do país e seus parceiros comerciais. Escolas planejam ensinar online e adiar o início das aulas. Diversos países estão tomando medidas de precaução, inclusive impedindo a entrada de estrangeiros vindos da China.

É importante ressaltar que, até agora, quase 19 mil pacientes conseguiram se recuperar da doença causada pelo vírus, cuja taxa de letalidade parece ser inferior à da SARS, por exemplo.

Até o momento, para a suspeita diagnóstica pelo novo coronavírus é muito importante o antecedente de viagem à área de transmissão da doença na cidade de Wuhan (província de Hubei) nos últimos 14 dias, contato com doentes suspeitos ou confirmados pelo novo coronavírus.

Quer se manter atualizado sobre essa doença e também sobre outros assuntos relacionados à sua saúde? Então se inscreva para receber nossa newsletter e não perca nossos conteúdos!

Leia mais

8 comentários em “Coronavírus: o que sabemos até agora sobre a doença

  1. Trabalho em escola publica . Atendemos cerca de 330 crianças.

    Estamos trabalhando com informação, discussao e prevençao.
    Precisamos de atualizaçoes.
    obg.

Deixe um comentário