COVID-19 e lesões hepáticas: doença pode afetar o fígado

3 minutos para ler

Além dos já conhecidos sintomas respiratórios agudos, a Covid-19 também é capaz de provocar (em graus variados) lesões hepáticas. Qualquer dano ao fígado durante a doença e/ou tratamento em pacientes com ou sem doença hepática pré-existente é considerado uma lesão associada ao novo coronavírus.

Por dras. Patrícia Holanda Almeida Sousa e Bianca Della Guardia, hepatologistas do Hospital Israelita Albert Einstein/ CRM SP 159 821 e CRM SP 82 774

Atualmente a medicina justifica os danos à infecção viral nas células do órgão, toxicidade hepática de medicamentos usados no tratamento (antibióticos, por exemplo), inflamação generalizada induzida por uma “tempestade” de substâncias inflamatórias e hipóxia (baixa taxa de oxigênio no sangue) associada à pneumonia causada pela Covid-19.

Alterações no organismo do paciente com Covid-19

Mais de um terço dos pacientes com Covid-19 têm alterações das enzimas hepáticas e bilirrubina (substância amarelada presente na bile) levemente elevada. A maioria desses pacientes infectados apresenta elevação leve a moderada da alanina aminotransferase sérica (ALT/ TGP) ou aspartato aminotransferase (AST/TGO).

Elevações de gama glutamiltransferase (GGT) e fosfatase alcalina (FA) ocorrem em um número pequeno de pacientes. As alterações costumam ser transitórias e retornam ao normal sem nenhum tratamento específico.

As lesões hepáticas são mais comum em casos graves da doença. No entanto, há relatos raros de enzimas hepáticas gravemente elevadas, mas até o momento não há registros de insuficiência hepática aguda em pacientes com Covid-19.

Em pacientes transplantados de fígado e portadores de doenças hepáticas crônicas avançadas, incluindo hepatite viral crônica, doença hepática gordurosa não alcoólica (gordura no fígado) e doença hepática alcoólica, o cuidado médico e a prevenção ao novo coronavírus deve ser mais intensivo.

Orientações gerais ao paciente com doença no fígado + Covid-19

  • O monitoramento regular das enzimas hepáticas em pacientes com Covid-19 e necessidade de internação hospitalar;
  • Na avaliação de pacientes com Covid-19 e enzimas hepáticas persistentemente alteradas devem ser afastadas outras causas, como hepatites virais (A, B e C, principalmente);
  • A presença de testes hepáticos anormais não parece representar uma contraindicação ao uso de tratamentos necessários para Covid-19, embora seja recomendável um monitoramento rigoroso de um hepatologista;
  • O manejo do paciente transplantado de fígado requer cuidados específicos, sendo indicado tratamento em Centros Especializados em Transplante;
  • Mesmo nos casos de Covid-19 sem repercussões graves ou indicação de internação hospitalar, orienta-se evitar agressões adicionais ao fígado, evitando o consumo de bebidas alcoólicas ou a automedicação.
Leia mais