Dieta para redução do ácido úrico

2 minutos para ler

Para reduzir o ácido úrico no organismo é preciso investir em alimentos que possuem baixo teor de purinas, pois, quando ingerido, este composto se transforma em ácido.

Quer saber mais sobre o assunto e descobrir o que são as purinas, as bases nitrogenadas que geram o ácido úrico? Então confira o conteúdo completo!

O que são purinas?

São compostos que quando metabolizados, formam o ácido úrico. Encontrados principalmente nos alimentos ricos em proteínas e quando consumidos em excesso, podem elevar os níveis de ácido úrico, podendo acarretar problemas como gota e litíase renal.

Alimentos com grande quantidade de purinas

Os alimentos listados abaixo devem ser evitados.

  • extrato de carne;
  • consumo de carne e frango;
  • coração, fígado, rins, miolos;
  • vitela, carneiro, cabrito;
  • bacon, frios, embutidos em geral;
  • peixes e frutos do mar: arenque, anchovas, bacalhau, sardinha, salmão, mexilhão, camarão, ostras, lagosta, caranguejo, ovas de peixe;
  • aves: galeto, peru, perdiz, pombo, ganso;
  • bebidas alcoólicas.

Alimentos com teor moderado de purinas 

Os alimentos listados abaixo podem ser consumidos moderadamente.

  • carne bovina: 100 g / dia (exemplo: alcatra, coxão mole e duro, patinho);
  • frango sem pele: 120 g / dia;
  • peixe: 100 g / dia (exceto os citados no 1.º grupo): pescada, merluza;
  • leguminosas como feijão, ervilha, grão-de-bico, lentilha: 1/2 xícara, 1 vez ao dia;
  • aspargos, cogumelos, espinafre, couve-flor;
  • margarina, manteiga;
  • chocolate.

Alimentos com baixo teor de purinas

  • frutas, suco de frutas;
  • café, leite desnatado, queijo Minas frescal, iogurte desnatado;
  • arroz, massas, pães, biscoitos, cereais;
  • verduras e legumes (exceto os citados anteriormente);
  • nozes;
  • azeite, azeitona;
  • pipoca;
  • óleos.

Recomendações Gerais

  • Ingerir líquidos em abundância (água, chá de ervas e água de coco);
  • Controlar rigorosamente as quantidades de carnes e leguminosas da dieta.

Quer saber mais sobre esse e diversos outros assuntos ligados à sua saúde? Então se inscreva em nossa newsletter e receba nossos conteúdos diretamente no seu e-mail!

Leia mais