Insônia: principais informações

2 minutos para ler

A insônia é definida como qualquer dificuldade em iniciar ou manter o sono durante a noite – alguns pacientes descrevem como a demora para iniciar o sono, outros acordam várias vezes durante a noite e ainda há os que despertam no meio da madrugada e não conseguem voltar a dormir. 

Pacientes com insônia normalmente apresentam sintomas diurnos, como fadiga, cansaço e déficit de concentração, levando a um impacto negativo da qualidade de vida. Existem algumas evidências que além dos sintomas relacionados ao cansaço pelas noites mal dormidas, pacientes com insônia crônica (com sintomas acima de 3 meses) apresentam um risco aumentado para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

A insônia normalmente acomete pacientes com tendência a ter um hiper alerta, e situações de stress podem desencadear o quadro; mas também pode fazer parte dos sintomas de outras doenças, como por exemplo apneia do sono, síndrome das pernas inquietas, doenças clínicas e psiquiátricas, dentre outros.

O diagnóstico da insônia é feito pelas queixas clinicas dos pacientes. Deste modo é fundamental a identificação de fatores que possam ter desencadeado e podem estar perpetuando o quadro. A polissonografia (exame do sono) auxilia na identificação de outros possíveis distúrbios do sono que poderiam estar agravando ou precipitando o quadro de insônia, e que necessitem de tratamento.

O tratamento da insônia deve ser individualizado e de forma geral inclui medidas comportamentais (higiene do sono, medidas que reduzam o hiper alerta e terapia cognitivo comportamental, dentre outras), o tratamento de outras doenças concomitantes que possam precipitar ou agravar o quadro, e o tratamento medicamentoso quando necessário. 

Leia mais
error: Conteúdo protegido!