Nem toda tontura é labirintite

3 minutos para ler

A primeira reação de uma pessoa que tem uma tontura costuma ser o famoso “sentar cinco minutinhos para ver se passa”. Muitas vezes esta técnica funciona, porém uma alteração do equilíbrio corporal pode indicar doenças mais graves, entre elas a labirintite. Saiba mais!

Por Dr. Gustavo Polacow Korn, otorrinolaringologista do Hospital Israelita Albert Einstein / CRM SP 101 458

Definida como uma inflamação no labirinto, estrutura interna do ouvido que auxilia na audição e na orientação do corpo humano, a labirintite não é um mal que pode ser curado pelo simples repouso momentâneo.

“Em primeiro lugar, é preciso verificar a causa para saber se é realmente labirintite”, aconselha o Dr. Gustavo Korn, otorrinolaringologista do Einstein. “Menos de 5% dos casos que recebo aqui são de labirintite, então é importante conhecer melhor o problema para tomarmos o devido cuidado”.​

Quando diagnosticados como uma labirintite, conforme afirma o especialista, pouquíssimos casos da doença são incuráveis ou têm sintomas que não podem ser controlados.

“Muitas coisas influenciam nestes sintomas, como alimentos que têm muito açúcar ou cafeína, o tabagismo e até o álcool. Por isso, o tratamento pode ser feito com medicamentos e, raríssimas vezes, com cirurgia, mas principalmente com a readequação dos hábitos”.

Como ela surge

 Causada por uma bactéria, a labirintite por si só tem origem em outras doenças, como, por exemplo, a otite média (inflamação do ouvido médio) ou a meningite (inflamação das membranas do sistema nervoso central).

Porém, além disso, seu diagnóstico pode prever outros problemas. “O labirinto funciona como um sensor do organismo. Muitas vezes a doença pode indicar dificuldades de origem metabólicas, hormonais, cardiovasculares e, em alguns casos, até psicológicas. Por isso sempre atuamos em conjunto com outros médicos e fazemos o tratamento juntos”, pontua o Dr. Gustavo.

info-labirintite.jpg

​​Uma das dificuldades do seu tratamento, entretanto, como explica o Dr. Gustavo, é que muitas vezes as pessoas não procuram ajuda para a cura. “Tontura não é normal. Pode acontecer em crianças, adultos ou idosos, sendo que, nestes últimos casos, é ainda mais perigoso, já que qualquer tipo de queda pode levar a problemas mais graves”.

Por isso, para ele, é importante que seja feito o diagnóstico quando a desorientação começar a aparecer com frequência. “É difícil as pessoas explicarem que estão doentes, mas elas podem melhorar. E muitas vezes isso pode ajudar e muito na qualidade de vida”.

Quer saber mais sobre esse e diversos outros assuntos ligados à sua saúde? Então se inscreva em nossa newsletter e passe a receber nossos conteúdos em seu e-mail!

Leia mais

Um comentário em “Nem toda tontura é labirintite

  1. Tenho labiritite a muitos anos tive crise de asiedade fiz tratamento agora estou bem mas a labiritite voltou o quê eu posso estar fazendo

Os comentários estão fechados.

error: Conteúdo protegido!