Prematuridade: principais dúvidas sobre o tema

4 minutos para ler

O que é? Causas? É possível prevenir? Essas e outras informações explicadas pela dra. Romy Schmidt Brock Zacharias, coordenadora médica da equipe de Neonatologia do Hospital Israelita Albert Einstein. Confira!

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo!

Você sabia que todo 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade? A data tem como finalidade chamar a atenção para os problemas e os cuidados necessários com esses bebês e suas famílias.

E não é para menos: o número de nascimentos prematuros é preocupante. Segundo a ONG Prematuridade, no mundo todo, cerca de 10% dos nascimentos são de bebês prematuros. E no Brasil o caso é ainda mais grave: essa média sobe para 12%. São cerca de 340 milhões de nascimentos prematuros todos os anos, o que corresponde a seis bebês a cada 10 minutos.

Confira a entrevista com a dra. Romy Schmidt Brock Zacharias, coordenadora médica da equipe de Neonatologia do Hospital Israelita Albert Einstein.

O que significa o termo prematuro?
É considerado prematuro — também chamado de recém-nascido pré-termo — todo bebê que nasce antes da 37ª semana de gestação.

Quais os principais fatores de risco que podem levar uma mulher a ter um parto prematuro?
Fatores genéticos, anatômicos, uterinos, infecciosos, entre muitos outros. Um exemplo são as alterações da placenta causadas por problemas como a hipertensão arterial crônica materna.

Outro fator é a incompetência istmo-cervical, que provoca a dilatação precoce do colo do útero, que não suporta o peso do bebê com o avanço da gestação. Outra causa é a gestação de múltiplos, talvez o fator mais conhecido.

É possível prevenir o parto prematuro?
Sim, depende da causa. Por isso o pré-natal é tão importante: é com base nesse acompanhamento que o obstetra consegue detectar alterações precocemente e sugerir as intervenções necessárias.

E quais são os sinais que alertam para um trabalho de parto prematuro?
É preciso ficar alerta na presença de contrações uterinas ritmadas e dolorosas, perda de líquido ou sangramento vaginal. A recomendação é de sempre entrar em contato com o seu médico na presença desses ou de qualquer sintoma diferente do habitual.

Em geral, quem tem parto prematuro em uma gestação terá também nas outras?
Depende muito do motivo, entretanto se a causa for a incompetência istmo-cervical há sim a chance de ter outro parto prematuro na próxima gestação.

Quais os principais problemas de saúde que podem acometer o bebê prematuro?
São problemas que, geralmente, estão relacionados à imaturidade de seus órgãos e funções que ainda não estavam preparados para a vida fora do útero, como acontece com os pulmões e o sistema neurológico.

Quais são os exames indispensáveis para o bebê que nasce prematuro?
Depende muito do grau de prematuridade. O bebê prematuro passa por uma série de exames no decorrer desses primeiros meses, incluindo a necessidade de se acompanhar algumas doenças específicas, como é o caso da retinopatia da prematuridade, que pode levar a problemas visuais graves, inclusive a cegueira, quando não diagnosticada.

Quando o prematuro geralmente tem alta?
Geralmente quando atinge a idade gestacional corrigida do termo, ou seja entre 37- 40 semanas, aproximadamente. Assim, um bebê de 28 semanas vai permanecer internado por volta de 9 a 12 semanas. Mas é importante salientar que, para receber alta, ele deve estar apto a alimentar-se adequadamente por via oral, ter um bom ganho de peso diário, manter a temperatura corpórea sem auxílio de incubadora e respirar adequadamente sem necessidade de oxigênio.

A vacinação é diferente em casos de prematuridade?
Um pouco diferente. Existe uma recomendação de fazer a vacinação da hepatite B logo após o nascimento — e por isso pode receber uma dose a mais dessa vacina na evolução.

Além do calendário oficial, é recomendada a administração de imunoglobulina específica (que são anticorpos) contra o vírus sincicial respiratório, para prematuros que nasceram com menos de 28 semanas.

A alimentação do prematuro é diferenciada?
A nutrição adequada é importantíssima para o prematuro, sendo o leite materno fundamental para a boa evolução. Em recém-nascidos prematuros com necessidades nutricionais especiais, pode-se colocar um aditivo no leite materno, a fim de garantir a oferta adequada de todos os nutrientes.

Posts relacionados