Quais problemas podem ocorrer durante a amamentação?

6 minutos para ler

Dificuldades na amamentação são comuns. Conheça as principais e como preveni-las e tratá-las

Apesar do aleitamento ser um ato instintivo, natural e fundamental para a sobrevivência das espécies no reino animal, no ser humano é uma prática complexa e apresenta inúmeros fatores para o seu sucesso, que envolve condições físicas e emocionais da mãe, ambiente familiar propício, além de características inerentes ao próprio recém-nascido, como capacidade para fazer uma boa pega, coordenação para sucção e deglutição do leite extraído.

Portanto, o aleitamento materno, apesar de ser natural e tão importante para o desenvolvimento do bebê, não é uma atividade instintiva, precisando ser ensinada e aprendida.

Diante uma situação em que o aleitamento materno não esteja evoluindo bem, é importante realizar um diagnóstico para desenvolver um plano de ação para cada área específica. Procure uma rede de apoio, converse com o seu obstetra e pediatra: juntos poderão estabelecer caminhos para o sucesso do aleitamento materno.

Lesões mamilares

Prevenção:

  • Pega correta e sucção efetiva
  • Verificar flexibilidade areolar antes das mamadas
  • Realizar ordenha areolar caso seja necessário (deixar a região da aréola amolecida para facilitar a pega do bebê)
  • Caso seja preciso interromper a mamada, a mãe deve colocar o seu dedo no cantinho da boca do bebê

Como fazer:

  • Massageie as mamas com as polpas dos dedos começando na aréola (parte escura da mama) e, de forma circular, abrangendo toda mama
  • Coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama)
  • Aproxime delicadamente o dedo indicador e o polegar de forma intermitente, com movimentos firmes, mas sem provocar dor
  • Durante a ordenha o dedo indicador e o polegar só realizam movimentos de abrir e fechar, sem deslizar sobre a pele
  • Realize a massagem até o ponto de alívio das mamas (15/20 min).

Tratamento:

  • Posicionamento adequado e ficar atenta à pega correta
  • Aplicar leite no mamilo e aréola após a amamentação, deixar secar ao ar
  • Aplicar uma fina camada de lanolina nos mamilos
  • Caso seja necessário utilizar medicação para alívio da dor, seguir recomendação médica
  • Caso tenha muita dor nos mamilos, começar a amamentar pelo lado menos afetado
  • Modificar a posição do bebê nas mamadas
  • Uso de laser com recomendação profissional

Ingurgitamento mamário

O ingurgitamento mamário surge em decorrência da retenção e do acúmulo de leite nas mamas, pelo inadequado manejo da apojadura (descida do leite), frequência das mamadas e sucção ineficaz.

Essa situação é frequentemente acompanhada de dor nas mamas, que também podem ficar quentes, vermelhas, tensas e doloridas. Os mamilos ficam achatados, dificultando a pega do bebê, e o leite muitas vezes não flui com facilidade.

Tratamento:

  • Ordenha areolar: utilizada para realizar o esvaziamento da aréola e favorecer a pega adequada
  • Mamadas frequentes em livre demanda: utilizada para realizar o esvaziamento completo das mamas
  • Uso de sutiã de alças largas para manter as mamas firmes e sustentadas
  • Massagens nas mamas antes da mamada: utilizada para promover a fluidificação do leite e facilitar a drenagem. A massagem aplicada deve ser suave e circular, da aréola em direção à axila
  • Ordenha das mamas, caso continuem cheias e desconfortáveis após a amamentação

Mastite

A mastite é um processo inflamatório da mama seguido ou não de infecção.

Causas:

  • Mamadas com intervalos muito longos ou frequência programada para a amamentação
  • Sucção não eficiente levando à remoção ineficaz de leite
  • Pressão exagerada nas mamas devido ao uso de sutiã apertado
  • Ingurgitamento mamário e traumas mamilares não tratados
  • Imunidade baixa por estresse e fadiga materna
  • Desmame rápido

Sintomas:

  • Dor , área avermelhada no seio, quente ao toque
  • Endurecimento do local afetado
  • Mal-estar geral (febre, calafrios, cefaleia, náuseas, vômitos, dores no corpo)

Tratamento:

  • Continuar amamentando sob livre demanda
  • Massagem na mama antes da mamada, caso apresente nódulo
  • Ordenha da mama, se continuar cheia e desconfortável após a amamentação
  • Repouso, líquidos, uso de sutiã de alças largas para manter as mamas firmes e sustentadas
  • Terapia medicamentosa prescrita pelo médico
  • Reavaliação médica após o início do tratamento
  • Observar cuidadosamente sinais de formação de abscesso

Candidíase

É caracterizada por uma infecção fúngica, podendo atingir o mamilo, aréola e os ductos lactíferos. Os fatores que predispõem ao fungo são mamilos lesionados mantidos úmidos e abafados por utilização de absorventes, conchas, curativos de hidrogel, protetores de silicone e uso de medicamentos, como antibióticos .

Sinais e sintomas:

  • pele do mamilo e aréola fina, brilhante, avermelhada e por vezes descamativa
  • prurido (coceira), ardência, dor em agulhadas e queimação durante e após as mamadas

Tratamento:

  • Higienização das mãos
  • Evitar o uso de absorventes ou acessórios de amamentação
  • Manter as mamas arejadas
  • Trocar o sutiã diariamente
  • Utilizar medicação antifúngica prescrita pelo médico.

Se forem encontrados sintomas no bebê, como crostas esbranquiçadas na cavidade oral, ambos deveram ser avaliados e tratados ao mesmo tempo.

Obstrução de Ductos Lactíferos

A obstrução dos ductos lactíferos ocorre quando o leite produzido em uma determinada área da mama não flui de maneira adequada, causando estase de leite. Acomete um ou mais pontos da mama, leva à formação de nódulos e observa-se um pequeno ponto esbranquiçado no mamilo.

Causas:

  • inadequado esvaziamento das mamas, produção exacerbada de leite, intervalos prolongados de mamadas, mamadas pouco efetivas e compressão externa da mama pelo uso de sutiãs apertados.

Tratamento:

  • Aleitamento em livre demanda, mamadas frequentes
  • Realizar compressa morna (10/15 min) e massagens na mama antes das mamadas
  • Rodiziar as posições para amamentar para promover o esvaziamento completo da mama
  • Ordenhar as mamas, caso o bebê não consiga esvaziar totalmente na mamada

Produção insuficiente de leite

A produção insuficiente de leite tem como causa principal qualquer fator que limite a extração do leite (pega inadequada na mama, restrição no horário das mamadas, alterações anatômicas na mama, doenças maternas, fadiga, estresse pós-parto, restrição importante da dieta, mamoplastia redutora (dependendo da técnica cirúrgica) e tabagismo.

Tratamento:

  • Avaliar a técnica da amamentação
  • Aumentar a frequência das mamadas
  • Evitar utilizar acessórios na amamentação
  • Alimentar-se com dieta balanceada
  • Ingerir líquidos em quantidade suficiente
  • Repousar
Leia mais
error: Conteúdo protegido!