Saiba mais sobre as cólicas dos bebês recém-nascidos

2 minutos para ler

Por Dra. Romy Schmidt Brock Zacharias, Coordenadora Médica da equipe de Neonatologia do Hospital Israelita Albert Einstein / CRM SP 94 608

As cólicas do bebê aparecem nas primeiras semanas de vida, são autolimitadas (elas terminam sem necessidade de tratamento), apresentando melhora após o 3.º ou 4.º mês de vida.

Os bebês com cólicas podem ter crises de choro agudo e vermelhidão da face. Eles se contorcem e flexionam as pernas, além de franzirem a testa e cerrarem os punhos. As barrigas também endurecem e podem liberar muitos gases intestinais.

As cólicas, apesar de atrapalharem muito o seu bebê e serem um motivo de angústia para os pais, não são perigosas e não levam a problemas sérios.

Causa, diagnóstico e tratamento

Não se sabe ao certo a causa das cólicas, mas acredita-se que podem fazer parte do desenvolvimento intestinal das crianças e podem estar relacionadas a algum grau de imaturidade do trato gastrointestinal e da flora bacteriana local, sendo um período de adaptação na vida do bebê.

O diagnóstico de cólica na criança deve ser feito em conjunto com o pediatra, que primeiramente afastará outras causas de dor abdominal que podem ser patológicas e precisam ser tratadas.

Caso seu bebê apresente cólica, oferecemos algumas dicas:

  • Aplique uma massagem circular no abdômen, no sentido horário;
  • Faça compressas ou bolsinhas de água morna (sempre testando a temperatura antes de entrar em contato com a criança); uma boa opção é aquecer a barriga do bebê na própria barriga da mãe (pele a pele)
  • Ofereça um banho relaxante;
  • Faça movimentos de bicicleta com as pernas do bebê pressionando-as suavemente contra o abdômen.

O uso de medicações para o controle da dor (como fitoterápicos, antigases e probióticos) só podem ser usadas sob recomendação médica, por isso, conte sempre com a orientação de seu pediatra.

Leia mais

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido!