Sonambulismo e outras parassonias: principais informações

5 minutos para ler

Parassonias são comportamentos episódicos, não desejáveis ou desagradáveis que ocorrem no início do sono, durante o sono ou no despertar. Podem ocorrer nos momentos de transição do sono e vigília, durante o período de sono REM ou NREM.

Antigamente era conhecida como um fenômeno único, que guardava o mesmo mecanismo fisiopatológico – o qual era atribuído à doença psiquiátrica. Sabe-se atualmente que as parassonias possuem diferentes causas, ocorrem em diferentes momentos e podem levar à consequências distintas. 

Parassonias do sono NREM: Também conhecidos como distúrbios do despertar, geralmente ocorrem no início do sono, são comuns na infância e diminuem com a idade. Na grande maioria apresentam histórico familiar positivo, com predisposição genética.

  • Sonambulismo: episódios de despertar parcial do sono NREM com comportamentos automáticos. Ocorre predominantemente no sono profundo (também conhecido como sono de ondas lentas) com comportamentos de sentar na cama, levantar e andar, durando de poucos minutos a meia hora. Tendem a ocorrer no terço inicial da noite.
  • Terror Noturno: episódios de despertar parcial súbito acompanhado de gritos, sentando-se na cama apavorado, com sudorese e coração acelerado. Usualmente a pessoa não lembra do ocorrido. Os episódios duram de 3 a 5 minutos e o retorno ao sono é imediato.
  • Despertar Confusional: despertares parciais, com fala arrastada, sudorese, comportamento inadequado como choro inconsolável ou agressividade. Em geral duram de 5-15 segundos, mas podem durar até mais de uma hora.

Parassonias do sono REM: Dois fenômenos caracterizam a fisiologia do sono REM: os sonhos e a falta de tônus nos mésculos. Alterações destes fenômenos determinam a maioria das parassonias do sono REM.

  • Pesadelos: é um episódio em que a pessoa acorda assustada e relatando estórias de conteúdo desagradável. Ao contrário do terror noturno, os pesadelos geralmente ocorrem durante o sono REM, ou seja, predominam na segunda metade da noite. Os pesadelos raramente incluem fala, gritos ou andar durante o sono. Os pesadelos são mais frequentes entre as crianças.
  • Transtorno Comportamental do sono REM: No TCSREM, a atonia esperada no sono REM está ausente, resultando em um comportamento dramático ocasionalmente levando à machucados, durante o sonho.

Enurese Noturna: considerada como a eliminação de urina no período noturno, de forma involuntária, em indivíduos a partir dos cinco anos de idade. O episódio de enurese deve ocorrer pelo menos em duas noites na semana e pode ocorrer mais de uma vez por noite e até todas as noites. Está associado a outros transtornos do sono como parassonias do sono NREM e apneia obstrutiva do sono. Nestes indivíduos há certo comprometimento do mecanismo de despertar, como se tivessem sono “mais pesado”.

São classificadas de acordo com a fase de sono em que ocorrem – parassonia do sono REM e do sono NREM.

As parassonias do sono NREM mais comuns são:​

  • despertar confusional
  • sonambulismo
  • terror noturno

As do sono REM são:

  • pesadelos e transtorno comportamental do sono REM, principalmente. 

Há ainda parassonias não classificadas, como a Enurese Noturna.

É consequência de uma mudança imperfeita que interrompe a progressão normal da ciclagem do sono. Assim há momentos em que não se está totalmente acordado nem totalmente dormindo. Neste momento observa-se elementos de sono e vigília mesclados (como por exemplo no sonambulismo, onde a pessoa anda – que é um evento de vigília – enquanto o cérebro ainda tem as reações de sono).

Há vários fatores que podem influenciar as parassonias. A idade é importante, uma vez que os distúrbios do despertar (parassonias do sono NREM) e a enurese noturna predominam na infância e muitas vezes desaparecem na adolescência. O transtorno comportamental do sono REM (TCSREM) é mais frequente em idosos. A privação de sono, eventos que interrompam o sono (como por exemplo apneia) e um dia mais agitado parecem aumentar a complexidade e frequência dos eventos. 

A história clínica detalhada, associada à exclusão de outros transtornos do sono é o passo mais importante para o diagnóstico e muitas vezes a história já é o suficiente. Em casos atípicos ou no caso de TCSREM é necessário o exame de polissonografia para melhor avaliação.

  • Parassonias do sono NREM: aconselhamento familiar a respeito do caráter benigno da doença e adoção de medidas de segurança para evitar acidentes. Evitar o uso de cafeína e a privação de sono, bem como as medidas de higiene do sono. Quando os episódios são frequentes, ou potencialmente perigosos, há necessidade de uso de medicação.
  • Parassonias do sono REM: como o TCSREM pode estar associado a uma variedade de distúrbios neurológicos, o tratamento é feito após investigação neurológica e com medicações de ação no sistema nervoso. 
  • Enurese Noturna: tratamento consiste em investigar possíveis causas renais e de sono, como apneia do sono. Uma vez afastadas estas associações, terapia com alarme ou medicações que interferem na produção de xixi podem ser usados.

Rotinas e hábitos saudáveis e regulares de sono ajudam a evitar e reduzir a intensidade das parassonias, particularmente do sono NREM. 

Leia mais
error: Conteúdo protegido!