Sono: aliado da atividade física

4 minutos para ler

Apesar da necessidade, poucas pessoas sabem o que é o sono e suas funções. O sono é um estado natural, cíclico e reversível, caracterizado pela diminuição dos movimentos e das respostas aos estímulos externos, redução da atividade mental e de parâmetros biológicos.

Por Bruno Gion de Andrade Cerazi, educador físico do Check-Up do Hospital Israelita Albert Einstein

Basicamente temos dois tipos de sono, de acordo com a atividade cerebral: o REM (rapid eye movement) e o não REM. Cada um deles tem uma característica e uma função, desde a liberação de hormônios, fixação de informações e restauração física. Um sono de qualidade está relacionado a melhora na disposição durante o dia, concentração, memória, redução do risco de doenças e até mesmo emagrecimento.

O número de horas de sono recomendado para atingir o bem-estar é completamente individual.  Alguns, chamados “curto-dormidores”, precisam de cerca de seis horas. Os “longo-dormidores” precisam de nove.  E a maioria,” indiferente”, precisa de oito horas.

Porém, tão ou mais importante que a quantidade, é a qualidade do sono. O prejuízo na qualidade pode levar a irritabilidade, déficit de memória e ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e metabólicas. As principais causas de problemas de sono são a síndrome da apneia obstrutiva do sono (o indivíduo tem vários micro despertares ao longo da noite devido alguma forma obstrução do fluxo de ar), insônia (dificuldade para pegar no sono, voltar a dormir ou acordar muito mais cedo) ou estresse. 

Da mesma forma que a qualidade pode ser influenciada negativamente, existem hábitos que podem contribuir positivamente. É comprovado cientificamente que o sono de pessoas mais ativas fisicamente é mais relaxado e restaurador, basicamente, por dois motivos: devido mecanismos de regulação do próprio organismo, o praticante de exercícios físicos – e devido a essa prática – apresenta uma temperatura corporal mais baixa e uma necessidade de reposição de energias maior que o não praticante. E esses dois motivos induzem um sono de melhor qualidade. Assim, quem pratica atividade física dorme melhor. 

O inverso também é verdadeiro. Quem dorme bem melhora a qualidade e os resultados dos exercícios físicos!  Para que a recuperação muscular e a formação de músculos ocorram de forma satisfatória, é necessário treino, alimentação e descanso adequados. Logo, quem malha e não dorme bem pode, além de não obter o resultado desejado, ter sua capacidade física prejudicada, uma vez que não consegue recuperar suas energias. 

Para melhorar a qualidade de seu sono, além de praticar atividades físicas regularmente, siga as dicas:

  • Busque atividades relaxantes antes de dormir;
  • Evite excesso de estímulos: som, TV, computadores, celulares;
  • Dê preferência a refeições leves e evite estimulantes (café, chá, energéticos, refrigerantes);
  • Deixe os problemas do lado de fora do quarto;
  • Garanta que o ambiente esteja adequadamente ventilado;
  • Use roupas confortáveis;
  • Evite ingestão de grande quantidade de líquidos, para não ter que levantar-se para ir ao banheiro, interrompendo seu sono;
  • Crie a sua própria rotina “pré-sono”.  Descubra o que funciona para você. 

Mas… Você ainda não pratica atividades físicas? Nossa sugestão, para você iniciar:

  • Aproveite cada oportunidade do dia-a-dia para incluir algum tipo de movimento: use escadas, estacione mais longe do seu local de trabalho ou estudo, aproveite a hora do almoço, leve o cachorro para passear;
  • Faça desses pequenos hábitos uma rotina;
  • Depois de tê-los tornado rotinas, amplie-os, aumente as distâncias. Desafie-se.

Portanto, fica a dica, tenha um sono de boa qualidade para ter um exercício de boa qualidade e tenha exercício de boa qualidade para ter um sono de boa qualidade. 

E lembre-se, para ter um exercício de qualidade, busque um profissional de educação física.

Leia mais
error: Conteúdo protegido!