Diagnóstico precoce garante mais qualidade de vida a portadores da Síndrome de Asperger

2 minutos para ler

28 de fevereiro é o Dia Internacional da Síndrome de Asperger. A  data é uma forma de conscientizar sobre a doença que, por ser considerada uma forma leve de autismo, nem sempre tem seu diagnóstico feito nos primeiros anos de vida, algo que possibilitaria um tratamento adequado, ocasionando uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Exames genéticos são uma forma eficiente de confirmar o diagnóstico da síndrome. O Microarray, realizado pela Genomika Einstein, é capaz de detectar as alterações nos genes que podem estar associados com o transtorno. “O teste permitirá que, a partir de dados personalizados, os pais ganhem tempo e a oportunidade de antecipar o planejamento dos cuidados especiais e o tratamento mais adequado para a criança”, destaca João Bosco Oliveira, médico imunologista da Genomika Einstein.

Ainda segundo João Bosco Oliveira, o exame é um dos mais completos disponíveis no mercado, uma vez que é capaz de identificar até mesmo pequenas mudanças no DNA. “Ele permite o diagnóstico de alterações cromossômicas submicroscópicas não balanceadas ao longo de todo o genoma. É capaz de detectar ganhos ou perdas de segmentos cromossômicos”, destaca. O Microarray é indicado em casos em que existe suspeita de atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, do crescimento, da linguagem, anormalidades congênitas, entre outros, e pode ser feito a partir de amostra de sangue ou saliva.

Síndrome de Asperger é o mesmo que autismo?

Na verdade, a síndrome de Asperger é uma condição que faz parte do transtorno do espectro autista (TEA), sendo comumente classificada como um autismo leve, o que significa que os portadores costumam ter os mesmos sintomas de forma mais branda. Normalmente, essas pessoas não apresentam grandes atrasos no desenvolvimento da fala e nem sofrem com comprometimento cognitivo grave.

Portadores Asperger costumam ter muito interesse por um tema específico, além de desenvolverem alguns tipos de habilidades avançadas, como memorização ou cálculo. Outra característica marcante é o pensamento concreto e literal, sem fazer a interpretação correta de metáforas e ironias. Sair da rotina e o uso de movimentos corporais, como gestos, podem ser desafios. 

Saiba mais sobre o nosso exame: https://www.genomika.com.br/microarray/

Leia mais