Tosse seca, o que pode ser? Veja 6 possíveis causas e como cuidar

7 minutos para ler

A tosse seca pode se manifestar por diversos motivos. Dependendo da sua duração e do surgimento de sintomas, essa condição pode indicar transtornos passageiros ou doenças mais graves. Por isso, é necessário observar todos os sinais de alerta que o corpo transmite.

Neste conteúdo, vamos entender melhor sobre o que é a tosse seca, quais enfermidades podem causá-la e quando ela deve ser motivo de preocupação para procurar auxílio médico. Se você quer tirar suas dúvidas sobre o assunto, não deixe de conferir!

O que é a tosse seca?

Tosse seca corresponde à expulsão rápida e concentrada de ar pelos pulmões e garganta, sem a presença de secreções (catarro e sangue). O objetivo desse movimento corporal é limpar as vias respiratórias de partículas de microrganismos prejudiciais. É uma tosse mais incômoda, pois a ausência de lubrificação deixa a garganta irritada e dolorida.

O que causa a tosse seca?

A tosse seca é uma reação natural do nosso corpo. Veja quais são as 6 causas mais comuns.

1. Gripes e resfriados

São doenças virais e manifestam sintomas semelhantes, como coriza, tosse e dor de garganta. No entanto, cada uma tem suas próprias características:

  • resfriado: causado por diversos vírus. É mais leve do que a gripe, pois ataca somente nariz e garganta (vias aéreas superiores), aumentando os quadros de tosse seca. Apesar do quadro infeccioso durar ao redor de cinco dias, a tosse pode durar mais tempo (até oito semanas);
  • gripe: causada pelo vírus Influenza e ataca nariz, garganta e pulmões. Manifesta sintomas gripais intensos, como tosse persistente, dores musculares, indisposição e febre acima de 38 graus. Sua duração é de até cinco dias, mas se não for tratada corretamente pode evoluir para sinusite e pneumonia (nesse caso, há uma mudança no padrão da tosse, vindo a ter mais secreção amarelo-everdeada, e febre).

2. Alergia

As alergias respiratórias também causam tosse seca, que podem ser intensas e ocorrer várias vezes ao dia. É preciso evitar contato com as causas da alergia, como ácaros, fungos, pelos de animais, poeiras, pólen e odores intensos, provenientes de produtos químicos (tinta, verniz, querosene etc).

Para aliviar esse tipo de crise, é recomendado beber bastante água e tomar um antialérgico prescrito pelo médico. O clima seco também provoca a tosse seca, por isso, é recomendado deixar o ambiente mais úmido por meio de um umidificador de ar ou balde de água.

3. Rinite e sinusite

Rinite é uma inflamação que compromete a mucosa (revestimento interno) do nariz, causando sensação de coceira, espirros e tosses. A associação com sinusite recebe o nome de rinossinusite. Ela pode ser alérgica, irritativa (inalação de fumaça, ou em ambientes poluídos,) ou por infecção por micro-organismos, vírus na maioria dos casos.

No caso de infecção bacteriana, o quadro inclui febre, dores de cabeça e de ouvido, e pode ser uma complicação do resfriado.

4. Asma e bronquite

A tosse seca também faz parte do conjunto de sintomas que indica asma e bronquite. A primeira pode ser genética ou alérgica, ou causada por contato com mofo, poeira, poluição, fumaças e outros fatores.

As crises surgem por conta da inflamação das vias respiratórias associada ao fechamento dos brônquios (aperto) , dificultando a passagem do ar.

Já o nome bronquite corresponde à inflamação dos brônquios, causada por infecção bacteriana ou viral. Fumaça de cigarro, produtos químicos e resíduos no ar também podem desencadear a doença.

5. Tabagismo

Pessoas fumantes têm maior probabilidade de desenvolver tosse seca persistente. O calor da fumaça aspirada e as substâncias químicas no cigarro irritam e inflamam as vias aéreas constantemente.

Em casos mais graves, a tosse fica mais forte e frequente, habitualmente com alguma secreção. O quadro pode evoluir para doenças pulmonares obstrutivas crônicas, que comprometem todo o sistema respiratório do paciente.

6. Refluxo gastroesofágico

É uma doença bastante comum em pessoas adultas e idosas, que ocorre quando o refluxo do ácido do estômago acontece com frequência. Nesse caso, os sintomas mais evidentes são:

  • regurgitação: aparecimento de alimentos na boca;
  • disfagia: dificuldade em engolir alguns alimentos;
  • pirose: sensação de queimadura no peito.

Outros sintomas também podem surgir, tais como:

  • azia;
  • crises asmáticas;
  • desgaste do esmalte dos dentes;
  • dor torácica;
  • halitose (mau hálito);
  • rouquidão persistente;
  • tosse irritativa.

Como aliviar o desconforto da tosse seca persistente?

Para amenizar a tosse seca, é preciso tomar algumas atitudes importantes, tais como:

  • consumir líquidos: água e sopa são boas escolhas. Evite álcool para não causar desidratação. Beber chá e líquidos mornos pode aliviar a tosse;
  • ajustar a umidade do ambiente: mantenha seu quarto úmido para reduzir a presença de partículas de poeira e outros resíduos suspensos no ar. Coloque uma toalha molhada na porta ou janela, deixe um balde de água próximo à cama ou use um umidificador;
  • fazer gargarejo: misture meia colher de chá de sal em um copo de água morna para amenizar a irritação na garganta;
  • usar soro fisiológico: aplique gotas de soro fisiológico nas narinas antes de dormir.

Por fim, não tente qualquer tipo de tratamento com produtos naturais, pois podem agravar o problema. Consulte seu médico em caso de dúvidas.

Quando procurar um médico?

Uma tosse ocasional, sem outros sintomas, é normal e saudável. Mas quando ela persiste por vários dias ou semanas, mesmo sem surgir outros sinais, deve ser sempre acompanhada pelo médico. Assim como no caso de coexistirem outros sintomas, como cansaço, coriza e febre acima de 38 graus.

Quadros de febre são frequentes quando há infecções causadas por vírus — Influenza e SARS COV2 (Covid-19) — ou nas infecções bacterianas que causam pneumonia. Nesses casos, uma avaliação médica é indispensável, principalmente, se houver dispneia (falta de ar).

Tosse com sangue é sempre um sinal que merece atenção urgente, pois mostra que ela está cada vez mais intensa e frequente. Assim, pode desencadear tontura, desmaio, ânsia de vômito, dores de cabeça, incontinência urinária e até fraturas nas costelas.

Um alerta adicional cabe aos pacientes portadores de doenças cardíacas, nos quais a tosse persistente pode ser uma indicação de descompensação do coração, sendo indicada a avaliação do cardiologista.

Em caso de tosse seca de início súbito, associada a dor torácica e falta de ar, também é indicada uma avaliação médica.

Como funciona o tratamento?

O tratamento da tosse depende da doença que está relacionada a ela. É aconselhável evitar a automedicação e marcar uma consulta com o seu clínico ou especialista.

No entanto, independentemente da causa, é comum o uso de xaropes para tosse seca, analgésicos para dores, antitérmicos para febres e antibióticos, no caso de infecções das vias aéreas e pulmões. O consumo dessas substâncias deve ser devidamente administrado pelo médico para evitar intoxicações e efeitos colaterais intensos.

A tosse seca é uma condição comum que pode indicar diversas doenças. Por isso, é importante observar as possíveis causas e sintomas para saber como proceder da melhor forma possível, evitando o agravamento do problema. Por fim, é válido reforçar a importância de procurar ajuda médica para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado.

Achou o artigo útil? Que tal conferir um conteúdo descontraído para ficar por dentro das melhores dicas e informações de saúde? Acesse o Podcast Papo Saudável.

Posts relacionados