14 de junho: você sabe como surgiu o dia mundial do doador de sangue?

6 minutos para ler

Você tem o hábito de doar sangue? Além de ser uma atitude nobre, não custa nada, é um processo relativamente rápido e não traz qualquer risco para a saúde do doador.

Pensando nessas pessoas — tanto em quem doa o sangue, quanto em que o recebe — foi criado o Dia Mundial do Doador de Sangue (14 de junho), uma data que tem como objetivo celebrar o altruísmo dos doadores e conscientizar a população sobre a importância dessa atitude.

Não sabe muito bem como acontece uma doação de sangue e gostaria de saber mais sobre essa data? Quer conhecer os requisitos para a doação? Continue a leitura!

Como surgiu o Dia Mundial do Doador de Sangue?

O Dia Mundial do Doador de Sangue nasceu como uma iniciativa para celebrar as pessoas que doam o sangue a outros e conscientizar a população sobre a importância dessa atitude.

O dia 14 de junho foi escolhido por ser o aniversário de Karl Landsteiner, estudioso responsável pela classificação dos grupos sanguíneos, o sistema A B O, e descobridor do fator RH.

Esse é um dos mais famosos temas de saúde, assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul. Então vamos conhecê-lo melhor!

Qual é a importância dessa data?

É possível que você tenha visto notícias ou chamadas nas redes sociais solicitando que as pessoas doem sangue, uma vez que os estoques estão baixos, certo?

A verdade é que esse é um desafio recorrente em hemocentros e hospitais de todo o Brasil. Por isso, uma data como essa tem o objetivo de mostrar às pessoas que é fundamental manter os estoques abastecidos para que todos que precisam deles possam ser atendidos.

Por que a doação de sangue é tão relevante?

A doação de sangue é capaz de salvar vidas. Uma transfusão é responsável por devolver a oxigenação aos tecidos, evitando que os órgãos entrem em falência em situações graves como hemorragias, acidentes, anemias e muito mais. 

Como são feitas as doações?

Para a doação de sangue, uma agulha é acoplada a uma espécie de mangueira que conduz o sangue do braço do doador até a bolsa de sangue. Esta, por sua vez, fica posicionada em uma bandeja que “chacoalha” o sangue durante toda a doação. Isso é essencial para que o composto não coagule e se deteriore.

Antes disso, o doador é submetido a uma triagem que consiste numa breve rodada de exames (para verificar questões como a anemia e alguns hábitos de vida) e ao preenchimento de um formulário, a fim de receber a liberação para doar sangue naquela ocasião.

Após a procedimento, o doador recebe um lanche e tem a certeza de ter cumprido uma importante missão de solidariedade.

Quem pode doar sangue?

Veja, a seguir, quem pode doar sangue!

Idade

A idade ideal para se doar sangue é entre 16 e 69 anos. Lembrando que os menores de 18 anos precisam da autorização de um responsável para fazer a doação.

Peso

Qualquer pessoa com mais de 50 kg pode doar sangue. 

Condições de saúde

É necessário que você esteja em boas condições de saúde. Isso significa não estar doente ou indisposto na hora da doação. Antes do procedimento, será feito um rápido exame de sangue para garantir que você não está anêmico ou com alguma outra alteração importante.

Alimentação

Não esteja em jejum na hora da doação, combinado? Fazer uma refeição completa pelo menos três horas antes do procedimento é muito importante. Também é recomendável fazer o lanche oferecido após a doação. Afinal, a perda de volume de sangue no corpo pode fazer com que você se sinta temporariamente enfraquecido.

Documentação

A documentação necessária para a doação de sangue é a mais simples possível: apenas um documento oficial com foto, que pode ser o documento de identidade, carteira de trabalho, de habilitação (CNH), entre outros documentos oficiais. 

Quais são os impedimentos para a doação?

Assim como qualquer tipo de procedimento, há impedimentos para alguns grupos de risco quando o assunto é a doação de sangue. 

Você não poderá colaborar com a doação se:

  • tiver mais de 69 anos;
  • tiver mais de 60 anos e nunca tiver doado sangue;
  • pesar menos do que 50 kg;
  • estiver em jejum;
  • tiver ingerido álcool 12 horas antes da doação;
  • estiver com febre ou ter tido algum episódio de doença nos últimos 15 dias;
  • estiver grávida ou amamentando;
  • tiver feito alguma tatuagem nos últimos 12 meses;
  • fizer uso de insulina, entre outros.

É importante conferir todas as regras no site do Hemocentro da sua cidade. Mas não se preocupe: antes da doação, você passará por uma entrevista na qual todas essas perguntas serão feitas. 

Há outros tipos de doações que podem ser feitas?

Sim! A doação de medula óssea é um procedimento que também pode salvar vidas. O transplante de medula é uma ferramenta indispensável para a cura de pessoas com doenças como a leucemia. 

O cadastro para a doação é feito a partir do seu sangue. Caso o banco de medula encontre um receptor compatível, ele entrará em contato com você e verificará a sua disponibilidade de realizar o procedimento.

Lembrando que o sangue doado também pode ser processado de maneiras diferentes, garantindo diferentes insumos (como as plaquetas) separadas do restante. Há muitas alternativas, mas todas servem para ajudar o próximo.

Não posso doar sangue. Como ajudar nessa causa?

Se você não pode doar sangue por algum motivo, não se preocupe. Ainda assim há muitas alternativas para que você possa participar dessa grande corrente e ajudar muitas pessoas a partir das suas atitudes. 

Alguns exemplos de ações benéficas para o mundo da doação são:

  • Compartilhe este artigo entre os seus amigos e conhecidos;
  • Fale com as pessoas sobre os benefícios da doação;
  • Explique como é feito o procedimento;
  • Explique também a importância da atenção básica à saúde, complementar ao processo de doação;
  • Se ofereça para acompanhar alguém que queira doar sangue.

Como podemos ver, o Dia Mundial do Doador de Sangue é uma data relevante para todas as pessoas. Esse tipo de doação pode salvar a nossa vida ou a de um ente querido. Comece, então, uma corrente do bem e dê o primeiro passo!

Aproveite e comece agora mesmo! Compartilhe este artigo em suas redes sociais e espalhe essas informações. Quem sabe você não inspira os seus conhecidos a doarem sangue pela primeira vez?

Posts relacionados