Inalação em casa: quando é recomendável e como fazer?

7 minutos para ler

Há problemas respiratórios crônicos, como a asma, que podem acompanhar as pessoas durante toda a vida, enquanto outros, como as alergias, podem ser mais frequentes durante o inverno, quando o clima seco favorece o seu aparecimento. Em ambos os casos, muitas pessoas acabam recorrendo à inalação em casa para desobstruir as vias respiratórias e respirar melhor.

Mas será que todo mundo pode fazer inalação em casa? Essa é uma dúvida bastante frequente entre quem costuma ter problemas respiratórios.

A resposta para esse questionamento depende do grau de gravidade da doença respiratória de cada indivíduo, o que só pode ser determinado por um médico. Quer saber mais sobre o assunto? Neste post, nós contamos quando a inalação em casa é recomendável e como você pode fazê-la. Acompanhe!

Quando a inalação em casa pode ser feita?

A inalação pode ser definida como uma aerossolterapia que faz uso de vapores como medicamentos para promover a desobstrução das vias respiratórias. O procedimento permite que a medicação de efeito descongestionante entre em contato com os brônquios em menor tempo e melhore a respiração rapidamente.

Isso acontece porque quando as secreções que estão impedindo o funcionamento adequado das vias aéreas são umidificadas, elas são convertidas em fluídos amolecidos. Eles podem ser eliminados com maior facilidade pelo organismo, de modo a aliviar sintomas que causam incômodo, como respiração curta, chiado, coriza, espirros, tosse e obstrução nasal. Veja, a seguir, para quais casos a inalação em casa pode ser feita.

Bronquite

A bronquite consiste em uma inflação localizada nos brônquios — canal que leva o ar que respiramos até os alvéolos pulmonares, que possibilitam a troca gasosa entre o gás carbônico do nosso sangue e o oxigênio que respiramos.

A doença ocorre quando os cílios minúsculos, responsáveis por revestir a parte interna dos brônquios, não conseguem mais eliminar o muco que está presente nas vias respiratórias. Isso gera um acúmulo de secreção, que faz com que eles se contraiam e fiquem inflamados de forma permanente, acarretando a dificuldade de respiração e a tosse.

Geralmente, o tratamento mais indicado para as pessoas que sofrem de bronquite é a hidratação das vias respiratórias por meio da inalação com soro fisiológico ou com broncodilatadores e anti-inflamatórios, dependendo da recomendação médica. A prática umidifica a secreção, contribuindo para que o muco parado nas vias áreas se solte e a respiração do paciente volte ao normal.

Asma

Podendo também ser chamada de ‘’bronquite asmática’’, a asma é uma doença respiratória que atinge os pulmões, causando uma inflamação crônica dos brônquios. O problema aumenta a produção de secreções que acabam prejudicando a passagem de ar pelas vias respiratórias, além de desencadear tosse frequente e prolongada. Ela costuma se intensificar durante a noite, podendo ter catarro, chiado e opressão no peito.

No caso da asma, a inalação é indicada para os momentos de crise da enfermidade. Isso porque a técnica deixa o edema formado pelas secreções mais fluido, desobstruindo a passagem de ar. Vale ressaltar que a asma é uma doença grave e, quando negligenciada, pode até mesmo oferecer risco à vida. Logo, independentemente da inalação e seus efeitos, é fundamental que o paciente busque orientação médica para lidar com o problema.

Enfisema pulmonar

Sem cura, o enfisema pulmonar é uma doença frequente entre fumantes de longa data. O problema classificado como uma Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), que ocorre em decorrência da ação de poluentes químicos, como os que fazem parte da composição do cigarro.

Uma vez instalada, a doença prejudica o funcionamento dos alvéolos pulmonares — local em que o gás carbônico do nosso sangue vai para dentro dos alvéolos, e o oxigênio aspirado sai de dentro dos alvéolos e entra no sangue.

Embora a patologia não tenha cura, os seus sintomas podem ser controlados com o auxílio da inalação com soro fisiológico e o uso de broncodilatadores, anti-inflamatórios e corticoides. Isso porque ela também atua na eliminação do muco e na redução da inflamação dos alvéolos, o que permite que o indivíduo respire melhor.

Sinusite

A sinusite é uma inflamação que afeta as vias nasais, que pode ser aguda ou crônica, causada por um simples resfriado ou até por um processo alérgico. Um dos principais sintomas desse problema é a congestão nasal, acompanhada do dor de cabeça, febre e sensação de pressão na região dos olhos, testa e face.

O uso da inalação é a alternativa mais rápida para aliviar quadros de sinusite aguda, que duram menos de quatro semanas. Em se tratando da sinusite crônica, que é um processo infeccioso, o tratamento requer acompanhamento médico e o uso de medicamentos antibióticos, se for necessário.

Alergias

Quando o assunto é alergia, uma das mais comuns é a rinite, que causa espirros, olhos lacrimejantes, coriza e nariz congestionado. Esse é mais um caso em que a inalação é uma poderosa aliada para aliviar os sintomas e recuperar o estado normal de sua respiração.

O mecanismo da inalação em relação à rinite é o mesmo já mencionado, visto que a solução inalada umidifica as secreções localizadas nas vias áreas, facilitando a respiração.

Quais cuidados precisam ser tomados?

Para a inalação, se faz necessária uma solução medicamentosa específica para o controle dos sintomas da doença respiratória pela qual está passando. Como a automedicação é uma prática perigosa e não recomendada, é necessário ter indicação médica para iniciar o tratamento com inalação.

A partir da prescrição médica, é possível saber qual é o medicamento adequado para o seu quadro clínico, em qual quantidade é seguro utilizá-lo e por quanto tempo. Ao seguir as orientações médicas corretamente, você terá mais facilidade para cuidar da sua saúde.

Quais as dicas para uma boa inalação?

A inalação em casa pode trazer dúvidas para as pessoas que são inexperientes no assunto. No entanto, trata-se de uma técnica simples. Basta seguir alguns passos para colocá-la em prática.

Em primeiro lugar, é necessário colocar o soro fisiológico ou outra medicação prescrita pelo seu médico, na quantidade recomendada, dentro do copinho de inalador. Na sequência, é só ligar o aparelho e colocar a máscara em cima do seu nariz, de maneira que você respire o ar da névoa.

Inspire profundamente para que o medicamento chegue até os seus pulmões. Contudo, não há necessidade de forçar a sua respiração, nem de aumentar a velocidade com a qual aspira o ar.

Para que se tenha mais conforto, é importante que você se sente em um local em que possa ficar recostado, e mantenha os seus olhos fechados. Normalmente, o processo dura de 15 a 20 minutos, e deve ser repetido três vezes ao dia.

Para as pessoas com doenças respiratórias mais graves, principalmente, crianças e idosos, o ideal é que a inalação seja feita com o auxílio de um profissional da área de saúde, a fim de evitar erros que possam comprometer o quadro do paciente ou a eficiência do tratamento.

Os problemas respiratórios trazem incômodos que prejudicam a sua qualidade de vida e, se não forem tratados, podem evoluir para doenças mais sérias. Fazer a inalação em casa, com a recomendação do seu médico, é uma das práticas mais eficazes para controlar os sintomas indesejados e voltar a respirar livremente.

Gostou deste post? Siga as nossas redes sociais e acompanhe mais conteúdos para manter a sua saúde em dia! Encontre-nos no Facebook, Instagram, YouTube, LinkedIn e Twitter.

Revisão técnica: Humberto Bassit Bogossian, pneumologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

Posts relacionados